Um texto sob a inspiração do professor Astromar

14/11/2013 16:30
 
"O metabolismo da metamorfose das incongruências descabíveis que aluem o talento dos que propugnam pela magnitude desenvolvimentista. A anacroasia do anacrosismo anacroniza os anacoretas que pela anáclise se torna patológica na virilidade e pelo metacronismo é procrastinado. A metábole da metacrítica canhestra e encalistrada subjuga-nos ao subdesenvolvimento pelo procrazes. A analepsia pela anagênese é feita pela profilaxia do separatismo da alforia".
 
Obs: Este texto foi elaborado quando soubemos que um político, de muito prestigio, enviou um oficio a cada um dos deputados estaduais declarando que a Hulha Negra não tinha as mínimas condições para ser emancipada. Só não houve divulgação desta matéria pois, foi apenas um gesto de indignação.
Envie pelo facebook sua colocação a respeito ou até sua tradução. Na outra Coluna será apresentado a tradução literal do dicionário. E na terceira Coluna apresento o que eu quis dizer. Por isso acompanhe e dê sua posição e participação.
Como podem ver eu me atirei de corpo e alma, como Capitão Hugo, nesta quase epopeia da emancipação a ponto de, quando, num ponto de quase desespero me parei a escrever a matéria acima e dedico a um personagem Hulha Negra City que uma certa feita procurou a Rádio Difusora-Bagé para dizer que o Macke tinha boas ideias apenas para joga-las no lixo. Agora procurando no lixo achei a inspiração do Prof. Astromar. Eu não tenho 1,2 ou 3 faculdades para saber que toda a pessoa deve respeitar a verdade, respeitar os outros e principalmente reconhecer o trabalho e a dignidade de outrem.
"De todos os orgulhosos, o mais insuportável é o que julga saber tudo" Filodemo
Com esse pensamento vem a propósito o tema Ética, compromisso e honestidade.
"Não bastam palavras é preciso, vive-las. Não basta fé, é preciso praticá-la. Ética é para ser vivida, não é enfeite! Urge sermos responsáveis, aliando compromisso e honestidade. Isto requer respeito das pessoas, coerência nas relações, transparência em tudo o que fazemos.
A ética identifica direitos, sem fugir dos deveres; desmascara os ídolos e seus fetiches; combate a corrupção; enxerga as pessoas no face a face e defende a vida. A ética aponta sempre para o valor da dignidade humana, valorizando o ser humano em todas as suas dimensões, por inteiro; leva-nos a proteger o fraco e a promover os pobres, numa inclusão de todos no banquete da vida." Frei Nilo Agostini.
Filodemo nos falou dos orgulhosos e o Pe. Antônio Wieira completa: "Quereis saber o que é a alma? Olhai um corpo sem ela."
Outros dizem que corpos se acha no necrotério. O que? Corpo é lixo e onde fica a fantasia: Todos se preocupando com o corpo. Para que? O relógio nos ensinou que quando termina a corda o corpo é o corpo. Mas afinal o que é a vida se a vida não nos pertence. E aqui retornamos à decima quarta coluna: Vaidade das vaidades, tudo é vaidade, do dia 14 de maio.
 

Newsletter

Receba nossas notícias. Cadastre seu email e fique por dentro das novidades.

Contato

Nosso Jornal Av. Getúlio Vargas, 1259
Top Shopping - Sala 8 - Centro
Hulha Negra - RS
96460-000
53 3249 1299
watts 53 99935 4089
contato@njsite.com.br